Torre do Castelo - Campinas

Congresso Brasileiro de Línguas Estrangeiras na Formação Técnica e Tecnológica

Foi construída entre 1936 e 1940, com capacidade original para 250 000 litros de água.[3] Situada a aproximadamente 735 metros de altitude,[4] é um dos pontos mais altos dentro do perímetro urbano de Campinas, além de ser um marco geodésico e possuir, em seu topo, um mirante que permite ver vários bairros da cidade, assim como a Serra do Japi, localizada a aproximadamente 40 km de distância, no município de Jundiaí.

À semelhança da rotatória onde está o Arco do Triunfo em Paris, a rotatória onde se localiza Torre recebe o trânsito de meia dúzia de vias (começam e terminam nessa rotatória: Av. Dr. Alberto Sarmento, R. Santo Antônio Claret, Av. João Erbolato, Av. Francisco José de Camargo Andrade e R. Oliveira Cardoso; a Av. Andrade Neves está nos dois sentidos), em todas as direções. A torre, atualmente, possui, além de seu mirante, o transmissor da Educativa FM (101,9 MHz) e um museu de objetos ligados à distribuição de água da Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento (SANASA) e das empresas que a antecederam.

As seis amuradas do mirante contêm informações sobre as regiões e lugares de Campinas vistos em cada uma das janelas. A Torre do Castelo foi reaberta à visitação pública em 15 de maio de 2010, aos sábados e domingos, das 10:00 - 12:00 e 13:00 - 21:00,[2] com possibilidades de visitas escolares durante a semana mediante agendamento, sendo aberta ao público em geral das terças às sextas-feiras, das 10:00 - 12:00 e 13:00 às 17:00.

Agendamentos e informações: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

 

Torre do Castelo

Praça 23 de outubro, s/nº - Jardim Chapadão
Agendamento para visitas (19) 3735-5158 / 3735-5065 / 3735-5173
Horário de funcionamento: Sábados e domingos das 16h às 20h

O "Castelo d´água", inicialmente assim chamado, foi criado para abastecer os bairros que se formavam na região norte. A torre de 27 metros de altura foi erguida em um dos extremos da triangulação geodésica, ponto estratégico para o desenvolvimento urbano da cidade definida pelo Plano de Melhoramentos de Campinas, conhecido como Plano Prestes Maia, de 1938.

O prédio foi construído entre 1936 e 1940 com capacidade para 250 mil litros de água e com encanamentos de ferro fundido (importados da França) e seis janelas, de onde é possível ter uma visão em 360 graus da cidade. O terreno escolhido para a construção foi a praça circular do Jardim Chapadão, de onde partia uma das avenidas centrais da nova cidade, a Andrade Neves.

Em 1972, a Torre foi reformada para abrigar uma sala circular e nova urbanização da praça. Em 1991, o prédio recebeu novas alterações para a instalação do Museu Histórico da Sanasa. Já em 1998, o edifício e a praça passaram por uma grande restauração para devolver as características do início da década de 1940. No ano de 2001 foi instalada em seu interior a Rádio Educativa de Campinas.

Do alto da Torre do Castelo, podemos conhecer e compreender a cidade de maneira profunda, mergulhar na sua diversidade e aprender com a imensa riqueza cultural e histórica de Campinas.

Dentro do Projeto "Conheça Campinas", a Torre está aberta ao público para visitas monitoradas, aos sábados e domingos.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Seu carrinho está vazio