A COMPREENSÃO ORAL DE VOCABULÁRIO TÉCNICO EM CONTEXTO DE ESP

Amaury Flávio Silva

Resumo


Este projeto tem como objetivo avaliar a compreensão oral de vocabulário técnico em língua inglesa por estudantes de inglês para fins específicos (ESP) antes e após um programa de ensino que introduza estratégias para o desenvolvimento da percepção oral. A motivação para a pesquisa surgiu da constatação de que estudantes de ESP possuem dificuldades na compreensão de vocabulário técnico em gêneros textuais orais, o que dificulta a sua participação efetiva em cursos em faculdades estrangeiras ministrados em língua inglesa.  A análise dos dados será realizada com base nos achados de Best e Tyler (2007) e Silva (2016) sobre a percepção de inglês como L2; e nos de Brooks (2014) sobre o ensino de vocabulário técnico. A originalidade desta pesquisa é a de contribuir com subsídios para a construção de uma abordagem de ensino de vocabulário técnico que incorpore estratégias que desenvolvam a percepção oral do público alvo.

Texto completo:

PDF

Referências


BAKER, M. Sub-technical vocabulary and the ESP teacher: an analysis of somerhetorical items in medical journal articles. Reading in a Foreign Language,4: 91-105, 1998.

BARBER, C. L. Some measurable characteristics of modern scientific prose.In contribution to English syntax and philology (21- 43)Goteburg: ActaUniversitatisGothoburgensis, 1962.

BERGBREITER, S. Why I make robots the size of a grain of rice [Arquivo de vídeo]. Disponível em:

..Nov. 2014. Acessoem: 28 set. 2016.

BEST, C. T.; TYLER, M., D. Nonnative and second-language speech perception: Commonalities and complementarities. In: MUNRO, M.J.; BOHN, O. S. (Eds.). Second language speech learning: The role of language experience in speech perception and production, p.13-34. Amsterdan: John Benjamins, 2007.

BOERSMA, P.; WEENINK, D. Praat: doing phonetics by computer, versão 5.4.12, 2015. Disponívelem: . Acessoem: 2 jan. 2015.

Brooks, M. The Role of Vocabulary in English for Specific Purposes (ESP) Teaching and Learning:Considerations for Asia University. The role of Vocabulary for ESP, 2014.

BROWMAN, C. P.; GOLDSTEIN, L. Articulatory phonology: an overview. Phonetica, v.49, p.155-180, 1992.

BURKE, J. AcademicVocabularyList. Disponível em: . Acesso em: 29 set. 2016.

CAMBRIDGE. Cambridge English Language Assessment (2016). Disponível em:

. Acessoem: 28 set. 2016.

CARROLL, S. E. Putting "input" in its proper place. Second Language Research, v.15, p.337-388, 1999.

COXHEAD, A. Academic Word List. TESOL Quarterly, 34, 2: 213-238, 1998.

HUTCHINSON, T.; Waters, A. English for Specific Purposes. Cambridge: CUP, 1987.

MEHRPOUR, S.;VOJDANI, M. Globalization and EFL Learning Motivation: A New Perspective on Integrative vs. Instrumental Motivation among Iranian Learners of English. Open Journal of Modern Linguistics, 2, 43-50, 2012.

NATION, I, S, P. Learning Vocabulary in Another Language. Cambridge: CUP, 2001

SAWIR, E. 'Language difficulties of international students in Australia: The effects of prior learning experience', International Education Journal, vol. 6 no. 5, pp. 567-580, 2005.

SCHMITT, N.; McCarthy, M. Vocabulary: Description, Acquisition, and

Pedagogy. Cambridge: CUP, 1997.

SILVA, A., F. Percepção de reduções em inglês como L2. Tese de Doutorado, PUC-SP, 2016

TATHAM, M.; MORTON, K. A guide to speech production and perception. Edinburgh: Edinburgh University Press, 2011.




ISSN 2526-4478

______________________________________________________________________________