REFLEXÕES SOBRE A IMPORTÂNCIA DAS LÍNGUAS ESTRANGEIRAS NO ENSINO SUPERIOR TECNOLÓGICO

Simone Cristina Mussio, Valéria Cristiane Validório, Véra Maria Ferro Merlini

Resumo


Considerando as necessidades de qualificação de profissionais para o mercado de trabalho atual, bem como de comunicação em nível empresarial globalizado, o ensino superior tecnológico adaptou-se, saindo apenas do viés mais técnico, implantando os idiomas de inglês e espanhol em sua estrutura, com foco em relações interpessoais e negociais. Nesse sentido, tendo em vista as reais necessidades profissionais dos últimos tempos, as FATECs inovaram, buscando oferecer um componente curricular diferenciado a seus alunos, destacando-os no mercado profissional.  Para tanto, por meio de práticas pedagógicas atualizadas e professores capacitados, oferece formação com perfil inovador, colocando no mercado profissionais com competência linguística diferenciada, possibilitada por meio de ambientação prática e comunicativa. Assim, busca-se desenvolver flexibilidade cognitiva, motivando o pensamento crítico e a metacognição, explorando-se a capacidade espontânea de reestruturar o próprio conhecimento diante de situações em constante mudança, pela forma de representar o conhecimento ou pelos processos mentais que nela operam, facilitando a participação social e a inserção profissional. Desse modo, a FATEC, por meio do trabalho didático qualificado, busca a interdisciplinaridade, oferecendo subsídios diferenciados para a competência profissional. Este artigo pretende então debater justamente sobre como, por que, e no que se deve focar para se garantir a aprendizagem significativa de idiomas, com foco nos cursos superiores tecnológicos das FATECs.

Texto completo:

PDF

Referências


CAMPBELL, L. et alli. Ensino e Aprendizagem por meio das Inteligências Múltiplas. Trad. Magda França Lopes. 2ª ed. Porto Alegre, Artmed, 2000, 308p.

DELVAL, J. Aprender a aprender. 3ª ed. Campinas, Papirus Editora, 2000, 168p.

HATCH, E. M. Second language acquisition: a book of readings. Rowley, MA: Newbury House, 1978.

LIEURY, A. Memória e aproveitamento escolar. São Paulo: Loyola, 2001.

LIGHTBOWN P. M. & SPADA, N. How Languages are Learned – revised Edition. 2nd. Edition, Oxford, Oxford University Press, 2000, 192p.

LONG, M. H. Input, interaction and second language acquisition. Annals of the New York Academy of Science 379, p. 259-78, 1983.

PICA, T. Research on negotiation: what does it reveal about second-language learning conditions, processes, and outcomes? Language Learning. n.44, v.3, p.493-527, 1994.

SANTINELLO, Jamile. O professor universitário usando ambiente de EAD como apoio pedagógico na educação presencial maio 2005 Disponível em http://www.abed.org.br/congresso2005/por/pdf/119tcc3.pdf > Acesso em set-2008.

VAUGHAN, Diane. The Challenger Lauch Decision. Risky Technology, Cultures, and Deviance at NASA. Chicago, The University of Chicago Press, 1996.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2526-4478

______________________________________________________________________________