ENSINO DE PORTUGUÊS COMO LÍNGUA DE ACOLHIMENTO A IMIGRANTES E REFUGIADOS EM SÃO PAULO

Renata Taño, Eric Costa

Resumo


Por motivos de guerra, perseguição, intolerância e procura de melhores condições de vida, milhares de pessoas são forçadas a deixarem suas casas. O Brasil tem recebido imigrantes e refugiados de várias partes do mundo e a aquisição do português é um fator imprescindível para integração à nova sociedade. O presente trabalho tem como objetivo contextualizar o cenário em que se encontram as teorias e práticas sobre PLAc (Português Língua de Acolhimento) apresentando as especificidades desse tipo de aquisição e sua relação com a prática a partir das observações coletadas em um curso ministrado em São Paulo para alunos de 23 nacionalidades. A aplicação de um questionário aos professores voluntários do projeto norteou reflexões com o intuito de melhorar a qualidade da formação dos alunos, bem como propiciar algumas diretrizes para professores e instituições que pretendam incluir imigrantes e pessoas em condição de refúgio nos seus cursos.


Texto completo:

PDF

Referências


AMADO, R. S. O ensino de português como língua de acolhimento para refugiado. Revista SIPLE – Sociedade Internacional de Português Língua Estrangeira, v. 7, 2014, s.p. Disponível em: http://www.siple.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=309:o-ensino-de-portugues-como-lingua-de-acolhimento-para-refugiados&catid=70:edicao-7&Itemid=113. Acesso em 02 julho 2017.

______. Português como segunda língua para comunidades de trabalhadores transplantados. Revista da SIPLE – Sociedade Internacional de Português Língua Estrangeira, v. 2, 2011, s.p. Disponível em:

http://www.siple.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=173:7-portugues-como-segunda-lingua-para-comunidades-de-trabalhadores-transplantados&catid=57:edicao-2&Itemid=92. Acesso em 23 agosto 2017.

ARANDA, B.; EL MADKOURI, M. Enfoques para el estúdio de la adquisición de una L2 como lengua de acogida. Su evolución hacia un modelo descriptivo de corte pragmático. Revista electrónica de estúdios filológicos. No. 10, Novembro de 2005. Disponível em: http://www.um.es/tonosdigital/znum10/estudios/R-Soto-ElMadkouri.htm. Acesso em 22 de agosto 2017.

BARBOSA, L.M.A; RUANO, B. P. Acolhimento, sentidos e práticas de ensino de português para imigrantes e refugiados na Universidade de Brasília e na Universidade Federal do Paraná. In: GEDIEL, J.A. P; GODOY, G. G. Refúgio e Hospitalidade. Kairós: Curitiba, 2016, p. 321-336.

BARBOSA, Lúcia Maria A.; SÃO BERNARDO, Mirelle. (2015). The role of laguage in social integration of refugees. In: GOROVITZ, Sabine; MOZZILO, Isabella. (Org.). Language Contact: Moblility, Borders and Urbanization. 1ed.Newcastle upon Tyne: Cambridge Scholars Publishing. v. 1, p. 107-118.

CABETE, Marta Alexandra C. (2010). O processo de ensino-aprendizagem do português enquanto língua de acolhimento. Dissertação de mestrado. Universidade de Lisboa. Disponível em: http://repositorio.ul.pt/bitstream/10451/4090/1/ulfl081236_tm.pdf

CALDEIRA, P. A. M. A imigração em Portugal: o português, língua de acolhimento e as problemáticas da identidade linguística e cultural. Tese (mestrado em Letras). Faculdade de Letras. Universidade de Lisboa, 2012. Disponível em: http://repositorio.ul.pt/handle/10451/9931. Acesso em 21 de agosto 2017.

CANDIDE, C. Apprentissage de la langue: vers un lente émergence d’un droit, VEI Enjeux, No. 125, 2001, pp. 108-117.

CASTLES, S. Understanding Global Migration: A social transformation perspective. Journal of Ethnic and Migration Studies, v. 36, n. 10, 2010.

GROSSO, M. J. R. Língua de acolhimento, língua de integração. Revista Horizontes de Linguística Aplicada. Vol. 9, No 2. Brasília, 2010, s.p. Disponível em: http://periodicos.unb.br/index.php/horizontesla/article/viewArticle/5665

_____. O português para falantes de outras línguas: o utilizador independente no país de acolhimento. 1 ed. Lisboa: Agência Nacional para a Qualificação, 2009.

_____. O Português para Falantes de Outras Línguas: o utilizador elementar no país de acolhimento. Lisboa: Ministério da Educação, 2008.

LOPEZ, A. P. A. Subsídios para o planejamento de cursos de português como língua de acolhimento para imigrantes deslocados forçados no Brasil. Dissertação (Mestrado em Letras). Faculdade de Letras, Universidade Federal de Minas Gerais. 260 f. Belo Horizonte, 2016. Disponível em: http://www.bibliotecadigital.ufmg.br/dspace/handle/1843/RMSA-AJTNHQ. Acesso 23 agosto 2017.

OLIVEIRA, T. A. et. al. Pode Entrar. 1 ed. São Paulo, 2015 (sem editora). Disponível em: http://www.acnur.org/t3/fileadmin/Documentos/portugues/Publicacoes/2015/Pode_Entrar.pdf. Acesso em 21 agosto 2017.

PEREIRA, G. F. Práticas para o ensino de português como língua de acolhimento em contexto escolar não formal: uma pedagogia intercultural. Tese (Doutorado em Letras). Universidade Presbiteriana Mackenzie. 244 f. São Paulo, 2017. Disponível em: http://tede.mackenzie.br/jspui/handle/tede/3216. Acesso 22 agosto 2017.

PERES, G. Situação Linguística de Refugiados Sírios no Brasil: o Ensino de Português como Língua de Acolhimento. Monografia (Bacharelado em Letras). Universidade Federal de Santa Catarina. 50 f. Florianópolis, 2016. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/167112. Acesso 22 agosto 2017.

RAJPUT, D. A aprendizagem do português enquanto língua de acolhimento: a comunidade Punjabi em Portugal. Tese (Mestrado em Língua e Cultura Portuguesa). Faculdade de Letras. Universidade de Lisboa. 112 f. Lisboa, 2012. Disponível em: http://repositorio.ul.pt/handle/10451/8802. Acesso 21 agosto 2017.

SÃO BERNARDO, M. A. Português como língua de acolhimento: um estudo com imigrantes e pessoas em situação de refúgio no Brasil. Tese (Doutorado em Linguística). Universidade Federal de São Carlos. 206 f. São Carlos, 2016. Disponível em: https://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/8126?show=full. Acesso em 22 agosto 2017.

TAÑO, R.; ZAMPIETRO, L. Curso de Português como Língua de Acolhimento/PLAC para Imigrantes e Refugiados. 1 ed. São Paulo, 2017. (sem editora)

TRUZZI, Oswaldo M.S (1997) Patrícios: sírios e libaneses em São Paulo. Hucitec. SP.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2526-4478

______________________________________________________________________________