Tecnologia no Ensino de Língua Adicional: Personalização e Autonomia do aluno por meio de um modelo de Ensino Híbrido

ADOLFO TANZI NETO, FERNANDA SCHNEIDER, LILIAN BACICH

Resumo


O presente artigo tem por objetivo apresentar e discutir uma proposta de ensino híbrido para o ensino de língua adicional no Brasil. O ensino híbrido, também conhecido como uma das variações de blended learning, consiste em uma metodologia híbrida, misturada, com foco na personalização, colaboração e uso das tecnologias digitais (MORAN, 2015). Nesse sentido, por meio de uma pesquisa-ação, foi possível discutir os resultados alcançados com essa proposta metodológica, e, em particular, os resultados alcançados em uma atividade envolvendo a língua inglesa em que os alunos apresentaram um melhor desempenho nas tarefas e desenvolvimento de sua autonomia, o que, consequentemente, ocasionou busca pelo conhecimento e a ativa participação, tanto do aluno quanto do professor, em sala de aula.

Texto completo:

PDF

Referências


ALBERTA EDUCAÇÃO. Budget 2010: Striking the Right Balance. The Ministry of Education, Canada, 2010. Disponível em: https://education.alberta.ca/media/1213923/20100122educationbusinessplan.pdf. Acesso em: 10 set. 2016.

BACICH, L.; TANZI NETO, A.; TREVISANI, F. M. (Orgs). Ensino Híbrido: Personalização e Tecnologia na Educação. 1. ed. Porto Alegre: GRUPO A, 2015.

BRASIL. (CONAE). Conferência Nacional da Educação Básica. Brasília: MEC, 2014.

CHRISTENSEN, C. M.; HORN, M. B.; STAKER, H. Ensino Híbrido: uma Inovação Disruptiva? Uma introdução à teoria dos híbridos. Disponível em: http://porvir.org/wp-content/uploads/2014/08/PT_Is-K-12-blended-learning-disruptive-Final.pdf . Acesso em: 11 set. 2016.

HARGREAVES, D. Personalising Learning 6: the final gateway: school design and organisation, London: Specialist Schools Trust, 2006

LANKSHEAR, C. The stuff of new literacies. In: Mary Lou Fulton Symposium. Arizona State University, abril 2007. Disponível em: < http://everydayliteracies.net/files/stuff.pdf> . Acesso em: 16 set. 2016.

LEADBEATER, C. Personalisation through participation: a new script for public services. Londres: Demos, 2004.

LEFFA, V. Ensino de línguas: passado, presente e futuro. Revista Estudos Linguísticos. Belo Horizonte, v. 20, n. 2, p. 389-411, 2012.

MILLIBAND, D. Choice and voice in personalised learning, paper presented at the DfES Innovation Unit. In: Demos/OECD. Conference Personalising education: the future of public section reform. Londres, 2004.

MORAN, J. M. A educação que desejamos: novos desafios e como chegar lá. 5. ed. Campinas, SP: Papirus, 2012.

_____. Educação Híbrida: um conceito-chave para a educação, hoje. In: BACICH, L.; TANZI NETO, A.; TREVISANI, F. M. (Orgs). Ensino Híbrido: Personalização e Tecnologia na Educação. 1. ed. Porto Alegre: GRUPO A, 2015.

_____.; MASETTO, M. T.; BEHRENS, M. A. Novas tecnologias e mediação pedagógica. 21. ed. rev. e atual. Campinas: Papirus, 2013.

PAIVA, V. L. M. O. A www e o ensino de Inglês. Revista Brasileira de Linguística Aplicada. v. 1, n1, 2001, p.93-116.

SCHLATTER, M.; GARCEZ, P. M. Línguas adicionais (espanhol e inglês). Referencias curriculares do Estado do Rio Grande do Sul: linguagem, códigos e suas tecnologias. Porto Alegre: Secretaria de Estado da Educação, Departamento Pedagógico, v. 1, p. 127-172, 2009.

TERRAFORUM. Educação 2.0: Interação e colaboração para o aprendizado. TerraForum Consultores, s/d. Disponível em: http://formatandoconhecimento.wikispaces.com/file/view/Educa%C3%A7%C3%A3o+2.0.pdf . Acesso: em 21 set. 2016.

TRIPP, D. Pesquisa-ação: uma introdução metodológica. Educação e pesquisa, 31(3), 443-466, 2005.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2526-4478

____________________________________________________________________________________________________________________