PEDAGOGIA DE PROJETOS: Práticas Bem-Sucedidas em Aulas de Inglês

Luciani Vieira Gomes Alvareli, Taciana Oliveira Carvalho Coelho

Resumo


No passado, acreditava-se que terminada a graduação, o profissional estaria apto a atuar em sua área por toda vida. Hoje não é essa a realidade, sobretudo para o profissional docente. Esse deve ter consciência de que sua formação é permanente e ocorre também em seu dia a dia de sala de aula. A reflexão sobre projetos bem sucedidos no ensino-aprendizagem de inglês é uma forma de contribuir para a formação de professores crítico-reflexivos que se instrumentalizam, se atualizam e evoluem continuamente como profissionais e como pessoas. A renovação e a reinvenção diária da prática docente por meio de trabalho com projetos é o foco deste artigo, que se propõe a apresentar projetos desenvolvidos em unidades FATEC, visando à expansão do vocabulário e ao aperfeiçoamento das habilidades dos alunos, buscando tornar a aprendizagem discente cada vez mais autônoma e real. As propostas dos projetos desenvolvidos estão relacionadas a: expansão vocabular e gramatical, desenvolvimento da habilidade oral e aperfeiçoamento da escrita, de forma integrada e sempre aproveitando o potencial das TIC. A pesquisa encontra respaldo teórico sobre a pedagogia de projetos em John Dewey (1910), Fernando Hernandez (2000), Nilbo Nogueira (2001), Richards (2006), Vygotsky (2006), Simões (2008), bem como em Abeysekera & Dawson (2015). Os resultados mostram que uma visão integrada de educação escolar no contexto atual fortalece a autoestima dos alunos e os auxilia a desenvolver a consciência sobre o próprio processo de aprendizagem, por estarem envolvidos em atividades de interação social que se aproximam de temas e situações reais. Esta investigação tem permitido constatar que os alunos que participam de tais projetos têm se tornado mais autônomos e mais responsáveis pela própria aprendizagem, melhorando seu vocabulário e suas habilidades orais e escritas na língua inglesa.

Texto completo:

PDF

Referências


ABEYSEKERA, Lakmal & DAWSON, Phillip. Motivation and cognitive load in the flipped classroom: definition, rationale and a call for research. Higher Education Research & Development, 2015. 34:1, 1-14, DOI: 10.1080/07294360.2014.934336. Disponível em: Acesso em: 13 set.2016.

DEWEY, John. How we think. D.C.Heath & CO., Publishers. 1910. Universal Digital Library. Disponível em: Acesso em: 13 set.2016.

FREITAS, Katia Siqueira de (Coord.) et al. Pedagogia de Projetos. Revista GERIR, Salvador, v.9, n.29, p.17-37, jan./fev.2003. Disponível em: . Acesso em: 21 set.2016.

HERNÁNDEZ, Fernando. Cultura visual, mudança educativa e projeto de trabalho. Tradução: Jussara Haubert Rodrigues. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 2000.

NOGUEIRA, Nilbo. 2001. Pedagogia dos projetos: etapas, papeis e atores. 2000.

RICHARDS, Jack C. Communicative Language Teaching Today. Cambridge University Press. 2006.

SIMÕES, Darcília. O percurso semiótico da leiturização e da textualização. In: SIMÕES, D. (org.) et al. Mundos Semióticos Possíveis. Rio de Janeiro, Dialogarts, 2008.

VYGOTSKY, Lev. Pensamento e Linguagem. 2006. Disponível em: . Acesso em 11 set.2016.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2526-4478

______________________________________________________________________________