Escrita colaborativa através do aplicativo popplet

Adriana Aparecida Souza Aguiar

Resumo


Este trabalho visa mostrar alguns benefícios do ensino híbrido através da integração de tecnologias digitais à proposta inicial do livro didático de língua inglesa. Os aspectos teóricos baseiam-se no conceito de aprendizagem híbrida (THORNE, 2003), na noção de conectivismo (SIEMENS, 2004) e na importância do trabalho colaborativo (DAMIANI, 2008). Dessa forma, o estudo é realizado através da participação de alunos de um curso técnico em informática integrado ao ensino médio. Esses alunos são envolvidos em uma atividade de escrita a partir do gênero mapa conceitual através do aplicativo popplet. Os mapas conceituais são hospedados numa comunidade no google+ com intuito de proporcionar a visualização dos trabalhos dos colegas e a inserção de opiniões sobre a atividade realizada.  Os resultados demonstram que os alunos envolvidos têm uma participação mais ativa, desenvolvem a autonomia, aprendem a gerenciar conflitos, desenvolvem a criatividade etc. Assim, conclui-se que o ensino híbrido transforma e melhora a qualidade do processo de ensino-aprendizagem, uma vez que as tecnologias digitais fazem parte da realidade do mundo contemporâneo. Portanto, o envolvimento dos alunos é mais dinâmico e as experiências vividas proporcionam aprendizagens mais significativas.

Texto completo:

PDF

Referências


AZZARI, E. F.; CUSTÓDIO, M. A. Fanfics, google Docs...a produção textual colaborativa. In: ROJO, R. (Org.). Escol@ conectada: os multiletramentos e as TICs. São Paulo: Parábola, 2013. p.73-92.

AZZARI, E. F.; LOPES, J. G. Interatividade e tecnologia. In: ROJO, R. (Org.). Escol@ conectada: os multiletramentos e as TICs. São Paulo: Parábola, 2013. p.193-208.

BEMBEM, A.H.C.; COSTA, P.L.A. da. Inteligência coletiva: um olhar sobre a produção de Pierre Lévy. Perspectivas em ciência da informação. v.18, n.4, out./dez. 2013, p.139-151.

DAMIANI, M. F. Entendendo o trabalho colaborativo em educação e revelando seus benefícios. Educar. Curitiba. 2008. n.31, p.213-230.

DIAS, Reinildes; JUCÁ, Leina; FARIA, Raquel. High Up: ensino médio – Volume 3. Cotia, SP: Macmillan, 2013.

GEE, J. P. Situated Language Learning: A critique of Traditional Schooling. Londres: Routledge, 2004.

MAURER, A. How do I leverage technology to enhance student learning? In: COORÊA, F.T.G. (Org.). Mieexpert: Changing the reality of the world teaching with technology. São Paulo: InMod, 2016. p.5-9.

NOVAK, J. D.; CAÑAS, A. J. The theory underlying concept maps and how to construct and use them. 2008. Disponível em < http://cmap.ihmc.us/docs/theory-of-concept-maps>. Acesso em 17 de setembro. 2016.

ROJO, R. Gêneros discursivos do Círculo de Bakhtin e multiletramentos. In: ROJO, R. (Org.). Escol@ conectada: os multiletramentos e as TICs. São Paulo: Parábola, 2013. p.13-36.

ROJO, R.; BARBOSA, J. P. Hipermodernidade, multiletramentos e gêneros discursivos. São Paulo: Parábola Editorial, 2015.

MORAN, J. M. A Educação que desejamos: novos desafios e como chegar lá. Campinas-SP: Papirus, 2007.

NUNAN, D. Research Methods in Language Learning. Cambridge: Cambriedge University Press, 1992.

SIEMENS, G. Concectivismo: uma teoria de aprendizagem para a idade digital. 2004. Disponível em: . Acesso em 17 de setembro. 2016.

SOUZA, S. A. F de. Para quem é o discurso pedagógico? In: PRETI, V.; DIAS, C. (Orgs.). Análise do discurso em perspectiva: teoria, método e análise. Santa Maria: Ed. Da UFSM, 2013. p. 141-157.

THORNE, K. Blended learning: how to integrate online and traditional learning. Londres: kogan Page Limited. 2003.

VERSCHOOR, J.; MENEZES, A. M. Using technology to foster creativity. In: COORÊA, F.T.G. (Org.). Mieexpert: Changing the reality of the world teaching with technology. São Paulo: InMod, 2016. p.74-77.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2526-4478

____________________________________________________________________________________________________________________